Covid-19: Índia aprova teste rápido produzido em papel

ANÚNCIO

No final de setembro a Índia aprovou o uso comercial de um teste para detectar a Covid-19 que tem, segundo cientistas, demonstrado uma evolução promissora. O teste em questão é realizado em tiras de papel, ou seja, sua produção não exige tanto investimento.

O novo kit de detecção rápida é mais barato que os meios tradicionais utilizados atualmente, e tem os níveis de precisão muito semelhantes aos do método RT-PCR, que é considerado como “padrão-ouro”, principal mecanismo para diagnóstico do vírus.

ANÚNCIO

O desenvolvimento do teste ocorreu no Instituto de Biologia Integrativa e Genômica (IGIB) de Nova Deli. Até então, ele foi testado em um grupo de 2.000 pacientes para que fosse possível encaminhá-lo para a próxima fase, que é referente à aprovação de seu uso.

Covid-19: Índia aprova teste rápido produzido em papel
Fonte: (Reprodução/Internet)

Teste pode entregar resultado em 60 minutos

O teste indiano, além de ser um dos mais baratos é também um dos mais rápidos. Chamado de Fedula, ele utiliza um processo tecnológico de edição de genes chamada CRISPR, capaz de reconhecer a assinatura genética da Covid-19, entregando o resultado em 60 minutos, ou menos.

Ao final dos resultados, os pesquisadores envolvidos chegaram à conclusão de que o kit possui os níveis de sensibilidade e especificidade de 96% e 98%, respectivamente. Isso significa que, na prática, sua margem de erro é muito pequena, bem como sua chance de dar falsos positivos ou falsos negativos. 

ANÚNCIO

Baixo custo de fabricação

Segundo os criadores do teste, cada kit Fedula necessita de aproximadamente US$ 6,70 (R$ 38) para ser produzido. Em entrevista à BBC, K. Vijay Raghavan, professor e principal consultor científico do governo indiano, afirmou que a novidade é simples, precisa, confiável e escalonável.

União do melhor de cada teste

Segundo pesquisadores do IGIB, o mérito do Fedula é unir as melhores características dos testes PCR, considerados como caros e demorados apesar de confiáveis, e de anticorpos ágeis, porém pouco precisos. Geralmente, os testes rápidos geram mais resultados falsos negativos.

Segundo Anurag Agarwal, diretor do Instituto, as tiras de papel utilizadas possuem a confiabilidade do PCR e a agilidade dos testes de anticorpos. Também é possível produzir o kit em laboratórios que não possuem grandes espaços, uma vez que não é necessário o uso de máquinas.

No local, o cenário atual é ideal para demonstrar a eficácia dos exames, pois o país passa por um estágio crítico da pandemia, a Índia está atrás apenas dos EUA em número de casos.

ANÚNCIO