Decreto de emergência em Goiás – Entenda

ANÚNCIO

O governo do estado de Goiás divulgou nesta sexta-feita (13) um decreto de emergência de saúde devido ao coronavírus. O decreto foi publicado no Diário Oficial e aborda sobre as mediadas de proteção que deverão ser tomadas pelo estado.

Ele também informa o estado de funcionamento de escolas, eventos, presídios entre outros, e também se é necessário suspender eventos tudo com intuito de conter o avanço do coronavírus no estado.

ANÚNCIO

O estado possui poucos confirmados do coronavírus, contudo o governo decretou estado de emergência e tomou medidas visando conter a proliferação do COVID-19. As medidas foram tomadas pelo governador Ronaldo Caiado.

decreto
Fonte: (Reprodução/Internet)

Saiba mais sobre o decreto e a situação do coronavírus no Goiás abaixo.

Medidas tomadas para conter o coronavírus

Diante do aumento dos casos do coronavírus no Brasil, os estados brasileiros tem tomado precauções. Dessa vez, foi o momento do estado de Goiás a decretar estado de emergência.

ANÚNCIO

Caiado, governador do Goiás, publicou no diário oficial Decreto de Situação de Emergência na Saúde Pública. O decreto vale por 180 dias e pode ser prorrogado conforme necessidade.

O documento oficial suspende todos eventos públicos ou privados de qualquer natureza, proíbe visitas em presídios e centro detenção para menores, também a visita a pacientes com o coronavírus. Os eventos esportivos funcionaram apenas de portões fechados, ou seja, sem acesso do público.

Sobre o funcionamento das escolas do Goiás fica prescrito que as aulas de escolas públicas e privadas estão suspensas a partir do dia 16 desta semana para evitar a contaminação por coronavírus. As escolas tem até dia 18 para obedecer ao decreto e devem permanecer sem aula por 15 dias.

Para que serve o decreto?

O decreto de emergência é uma medida de precaução do governo para acelerar possíveis compras emergências pelo estado do Goiás. As compras são de artigos de saúde importantes que podem ficar escaços em caso de lotação dos hospitais.

São eles artigos para prevenção, tratamento ou combate ao coronavírus, como luvas, máscaras, álcool em gel, aparelhos para monitoramento da respiração entre outros.

Para efetuar a compra de qualquer equipamento ou artigo de saúde para hospitais, são necessárias licitações, assim, a compra pode levar meses para ser efetuada e chegar nos hospitais.

Com o decreto não será necessário licitação. A intenção do governo estadual é antecipar a possível situação de falta dos hospitais do Goiás, trazendo por meio do decreto uma alternativa para o rápido abastecimento.

Casos confirmados de coronavírus

Existem no estado de Goiás 4 casos confirmados. Os moradores são de cidades diferentes e todos vieram de uma viagem internacional. A primeira pessoa a ser diagnosticada com o coronavírus foi uma paciente de 61 anos que retornou da Espanha. A mulher mora na cidade de Rio Verde.

O segundo e o terceiro caso confirmado são de moradoras de Goiânia. As mulheres tem 38 e 31 anos e contraíram o corona após o retorno de uma viagem da Itália e outra dos Estados Unidos. O quarto caso confirmado foi de um homem, sem idade divulgada, que é casado com uma das pacientes diagnosticadas.

No estado ainda não há caso de contaminação comunitária, dado que os casos são de pessoas que retornaram de algum país em que há um surto local. Também estão sendo avaliados casos de 85 suspeitas no estado.

ANÚNCIO