Estados Unidos prevê vacinação contra Covid-19 em outubro

Recentemente, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos enviou uma notificação para os agentes da saúde pública de todos os estados para prepararem-se à distribuição da vacina contra o novo coronavírus

De acordo com a New York Times, a equipe jornalística da imprensa teve contato direto com a documentação. Nesta documentação é citado que a vacina será direcionada aos profissionais da saúde e grupo de risco. P

Portanto, a população que não se encontra nestes grupos, deverá esperar um tempo até um novo pronunciamento do governo dos EUA. Segundo a CDC, a distribuição deve ocorrer no final de outubro para novembro. 

Estados Unidos prevê vacinação contra Covid-19 em outubro
Fonte: (Reprodução/Internet)

Etapas para vacinação

Na escritura da documentação, havia dois tipos de vacinas não identificadas, ambas exigindo duas doses separadas semanalmente. Os setores responsáveis pela aplicação são os hospitais, as clínicas e os postos de saúde. 

Os profissionais de saúde serão os primeiros a tomar a dosagem, em seguida receberão os trabalhadores essenciais e funcionários da segurança nacional. Juntamente com estes grupos, serão vacinados os cidadãos com 65 anos ou mais e a população de minorias raciais e étnicas, nativos americanos e indivíduos encarcerados.

ANÚNCIO

 “Doses limitadas da vacina da Covid-19 podem estar disponíveis no início de novembro de 2020, mas o fornecimento da vacina aumentará substancialmente em 2021”, foi escrito em uns dos documentos enviados para o jornal The New York Times. 

Preocupação dos cientistas 

A aplicação em massa de uma vacina desconhecida tão cedo, preocupa a população norte-americana e os especialistas. O principal medo é o governo do presidente Donald Trump estar tentando apressar a distribuição da vacina antes das eleições que ocorrerão em 3 de novembro. 

“Este cronograma de implantação inicial no final de outubro é profundamente preocupante para a politização da saúde pública e suas consequências para a segurança. É difícil não ver isso como um incentivo a uma vacina pré-eleitoral”, explica a epidemiologista Saskia Popescu, em entrevista para a New York Times

Um porta voz da CDC confirmou o envio da documentação à New York Times, mas não falou sobre o conteúdo que estava explícito. 

ANÚNCIO