‘Inseto robô’ consegue andar por 2 horas sem nenhuma bateria

ANÚNCIO

Cada dia que se passa a sociedade se aproxima cada vez mais de um futuro tecnológico. Atualmente, a criação de robôs ainda está em fase teste e por isso o consumo de energia das criações são altíssimos. 

No entanto, para fazer um robô funcionar ele deve receber uma grande carga elétrica. Contudo, pesquisadores da Universidade do Sul da Califórnia conseguiram criar um micro robô que não faz utilização de baterias. 

ANÚNCIO

A criação chama-se RoBeetle, que foi desenvolvido do tamanho de um inseto e com os mesmo trejeitos. O micro robô pode andar tranquilamente por duas horas sem nenhum tipo de bateria

'Inseto robô' consegue andar por 2 horas sem nenhuma bateria
Fonte: (Reprodução/Internet)

Como o RoBeetle funciona sem bateria?

Para os pesquisadores essa é uma descoberta e tanto, já que o pequeno robô não faz utilização de eletricidade. O estudo do RoBeetle foi publicado pelos cientistas na revista “Science Robotics”.

Os pesquisadores explicam que o pequeno robô não utiliza baterias, pois faz uso de metanol líquido para “abastecer” e movimentar suas fontes de movimento. 

ANÚNCIO

Seus pequenos compartimento são feitos com uma liga com efeito de memória de forma (SMA, shape-memory alloy) de níquel-titânio. Na verdade, estes músculos são fios revestidos com platina que se movimentam a partir de certa temperatura.

'Inseto robô' consegue andar por 2 horas sem nenhuma bateria
Fonte: (Reprodução/Internet)

Quando a platina faz contato com o metanol, faz com que ocorra uma combustão que gera calor aos músculos do mini-robô. Assim, o RoBeetle pode regular seu fluxo de combustível e movimentar-se para frente. 

O metanol como fonte de energia

A conquista de desenvolver um mini robô que se movimenta sem eletricidade é um avanço na ciência. Apesar do metanol líquido ter um alto índice de densidade energética, o editor especializado em robótica, Evan Ackerman, diz que esta é uma forma inábil de fornecer energia. 

“A eficiência estimada é de 0,48%. Veja bem, não são 48%, mas 0,48%, enquanto, em geral, alimentar SMAs com eletricidade é muito mais eficiente”, explicou Evan. 

Porém, como a bateria elétrica mais leve no mercado é bem maior que o RoBeetle, o editor conclui dizendo que a partir dessa perspectiva, a eficiência do robô é muito boa.

Os pesquisadores da Universidade do Sul da Califórnia afirmam que o RoBeetle consegue mover-se em lugares inacessíveis por humanos. Porém, o robô só anda para frente, e não vai para lado e nem para outro. No entanto, a criação do pequenino pode servir como modelo para micro robôs de locomoção aérea.

ANÚNCIO