Mais de 40% dos reviews na Amazon durante pandemia não são reais

ANÚNCIO

Uma pesquisa recente conduzida pela Fakespot, empresa de análise de mercado, descobriu que das 720 milhões de análises de produtos que a Amazon vendeu entre março e setembro de 2020, 42% (ou seja, 302,4 milhões) estavam completamente erradas. 

A Fakespot destacou que o aumento desse número se deve ao início da pandemia de coronavírus. Com a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarando uma pandemia em março, os consumidores globais tiveram agora um maior contato com plataformas de varejo online.

ANÚNCIO

A empresa ressaltou que o número de 2020 só é comparável a períodos de compras festivas, como Natal ou Black Friday, de outros anos. Além disso, a Fakespot também analisou outros varejistas, como o WalMart, que se manteve ainda em 36%, quase o mesmo do ano passado.

Mais de 40% dos reviews na Amazon durante pandemia não são reais
Fonte: (Reprodução/Internet)

Amazon refutou números publicados por Fakespot

Um e-mail enviado por uma porta-voz da empresa ao site Gizchina, disse que empresas como a Fakespot ou a ReviewMeta, que afirmam realizar auditorias, não conseguem acessar dados legais privados, logo não podem determinar com precisão a autenticidade dessas informações. 

A empresa, que vem enfrentando dúvidas do Senado dos Estados Unidos, também admitiu que malfeitores sempre tentam abusar dos sistemas do grupo liderado por Jeff Bezos, mas que a Amazon tem investido muito dinheiro para proteger seus produtos, bem como a integridade dos depoimentos.

ANÚNCIO

Avaliações falsas vêm afetando diversas marcas

A Amazon já enfrentou o problema de avaliações falsas. Hoje, o ato de publicar uma falsa análise de uma determinada oferta constitui um próprio mercado paralelo. Depoimentos falsos podem melhorar ou destruir a credibilidade de uma marca, além de afetar várias plataformas.

O mercado de videogames é um dos mais afetados por isso. Por não gostarem, de certas franquias ou plataformas, é que os usuários que competem por títulos de jogos muitas vezes derrubam artificialmente certas classificações de jogos por meio de portais que agregam análises (como Metacritic ou Steam).

Nota de The Last of Us cai após avaliações falsas

O jogo exclusivo do PlayStation 4 “The Last of Us Part II” é um exemplo que deixou vários usuários insatisfeitos. No momento do lançamento, o Metacritic apontou que a crítica profissional era quase 100% preferida, enquanto críticas de usuários falsos reduziram a avaliação para 3.8.

Além disso, dois meses antes do jogo ser lançado, hackers vazaram o enredo da produção. Antes disso, o próprio site do game havia mudado sua política, o que impedia os usuários irreais de comentarem seus reviews no dia do lançamento do jogo.

ANÚNCIO