Nasa descobre gelo em lua de Saturno

ANÚNCIO

Recentemente, a Nasa (The National Aeronautics and Space Administration), encontrou evidências de gelo fresco em Encélado,  umas das luas do planeta Saturno, com capacidade para abrigar vidas.

As pistas de gelo foram capturadas por imagens infravermelhas registradas pela sonda Cassini, e foram anunciadas em um comunicado da Nasa. O Encélado é uma das apostas dos cientistas para abrigar vida. 

ANÚNCIO

Especula-se isso, pois, há alguns anos, foi estudado que consta um oceano subterrâneo embaixo da sua grossa crosta gelada, e que talvez, existam substâncias naturais para o surgimento da vida. 

Nasa descobre gelo em lua de Saturno
Fonte: (Reprodução/Internet)

Lua de Saturno aparenta ser uma bola de neve 

Mesmo que a superfície da Lua seja repleta de abismos e gargantas, o Encélado parece bastante uniforme, com uma crosta de gelo branca e brilhante, parecido com uma bola de neve navegando no espaço. Em registros captados pela Cassini, os astrônomos descobriram que parte desse gelo na Lua é fresco. 

Portanto, o evento gerou questionamentos nos cientistas, e agora é especulado que estejam acontecendo atividades internas ressurgindo em Encélado. Embora aparentando uniformidade, a Lua de Saturno não é um lugar tranquilo de se habitar. 

ANÚNCIO

Em 2005, a sonda Cassini captou plumas de água salgada saindo de quatro gigantescos abismos paralelos no polo sul da lua, nomeados como ‘Listras de Tigre’. Desde então, a sonda passou a observar mais de 100 gêiseres na região. 

Nasa descobre gelo em lua de Saturno
Fonte: (Reprodução/Internet)

Cassini encerrou as suas atividades em 2017

Os abismos paralelos são derivados do fenômeno natural que ocorre na órbita de Saturno. O planeta puxa e estica sua lua, derivando o aquecimento interno e à atividade geotérmica, formando rachaduras na superfície gelada do polo sul. Os gêiseres expulsam a água de seu interior, atingindo a superfície e formando camadas de líquido congelado. 

Estes eventos só foram descobertos por conta da nova tecnologia instalada na sonda Cassini, chamado Espectrômetro de Mapeamento Visual e Infravermelho (VIMS). A ferramenta coletou a luz refletida de Saturno, das suas dez principais luas e dos seus anéis, e dividiu-as em comprimentos divergentes de onda. 

A sonda Cassini foi enviada ao espaço em 1977, entrando na órbita de Saturno em 2004. Sua missão foi finalizada em 2017, quando a nave foi lançada contra a atmosfera do planeta. Mesmo assim, a sonda conseguiu registrar novos fenômenos sobre Encélado e informar a sede da Nasa. 

ANÚNCIO