Rússia aproveita paralisação da vacina de Oxford para promover Sputnik V

ANÚNCIO

Recentemente, a Rússia virou notícia no mundo após anunciar sua vacina contra o coronavírus, chamada Sputnik V. A criação da Rússia chamou a atenção da população por ter passado por pouquíssimos testes e ter acelerado a passagem nas etapas obrigatórias. 

Antes do lançamento da Sputnik V, a China e a Universidade de Oxford já estavam seguindo o protocolo das etapas da vacinação. Porém, alguns voluntários da vacina de Oxford tiveram  “sérios” efeitos colaterais. 

ANÚNCIO

Portanto, a universidade decidiu paralisar a testagem da tão esperada vacina contra Covid-19. Com essa abertura nos testes, a Rússia aproveitou da situação para promover a sua vacina, a Sputnik V. 

Rússia aproveita paralisação da vacina de Oxford para promover Sputnik V
Fonte: (Reprodução/Internet)

Vacina de Oxford utiliza vírus de chimpanzés

Segundo afirmação nesta quarta-feira (09) do diretor do Fundo Russo de Investimento Direto (RFPI) e também gerenciador e promotor de desenvolvimento da vacina, Kirill Dmitriev, o mesmo não se manifestará acerca da interrupção da vacina da AstraZeneca (Oxford).

Porém, se aproveitou da situação da vacina de Oxford para contar vantagem sobre o projeto da Sputnik V de seu país. Dmitriev ainda ressaltou as vantagens de desenvolver uma vacina utilizando um adenovírus humano como fator principal para a vacina, ao invés do adenovírus de chimpanzés utilizado pela Oxford.

ANÚNCIO

“Chamamos a atenção para um editorial anteriormente publicado, no qual o chefe do RFPI, Kirill Dmitriev, tocou a questão da muito mais estudada plataforma de vectores de adenovírus humanos em comparação com plataformas novas e não estudadas de produção de vacina, tais como os vetores de adenovírus de macaco ou RNA mensageiro”, diz o comunicado publicado pelo fundo.

Sputnik V não foi testada em massa

Mesmo que a Rússia esteja muito otimista com a Sputnik V, a vacina não foi testada em larga escala entre a população, o que gera uma confusão na cabeça de muitos. Com isso, não é possível concluir se a criação do Instituto Gamaleya é realmente segura e eficaz como o RFPI tenta promover. 

A vacina promovida pela Rússia está entrando na terceira e decisiva etapa por agora, mesmo com a proposta de anunciar sua distribuição antes da conclusão dos experimentos. 

ANÚNCIO