Senado aprova adiamento do Enem 2020

ANÚNCIO

Já estamos em nosso segundo mês de quarentena, caminhando para o terceiro. A pandemia que chegou fechando portas, de escolas e comércios, segue sem uma previsão muito clara de quando irá diminuir. Na realidade, agora estamos chegando no pico de casos.

Com as escolas fechadas surgiu um problema em relação à educação dos alunos e sobre as datas de provas como vestibulares e o Enem, afinal, a educação EaD apenas tornou ainda mais clara a desigualdade existente entre regiões e, até mesmo, entre alunos da mesma localidade.

ANÚNCIO

E, sobre este problema com as datas, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) tem sido o mais comentado. Pois, enquanto alguns estados, como São Paulo e Distrito Federal, já tomaram medidas para que os alunos continuem estudando, outros municípios, como Belo Horizonte, seguem sem posicionamento e os alunos sem aula.

Notícia] Senado aprova adiamento do ENEM após tentativa de ...
Fonte (Reprodução/internet)

Diante desse cenário, no dia 19 de maio o Senado aprovou o adiamento da prova do Enem, e, qual será a situação atual em relação à isso?

Senado aprova o adiamento

Você já ouviu falar do Projeto de Lei (PL) 1.277/2020? Provavelmente tenha ouvido falar, mas, talvez só não sabia que esse era o número dele. Se trata de um projeto elaborado pela senadora Daniella Ribeiro (PP-PB) que garante o adiamento de processos seletivos nacionais.

ANÚNCIO

O projeto foi aprovado com 75 votos a favor e apenas um voto contra. Pelo projeto, a prova do Enem será aplicada apenas depois do término do ano letivo de 2020. Contudo, o governo ainda está buscando uma forma de não perder o primeiro semestre de 2021.

Pela PL 1.277/2020 não apenas a prova do Enem desse ano, mas sim, sempre que houver algum estado de calamidade pública, reconhecido pelo Congresso Nacional e que atrapalhe o funcionamento das instituições de ensino, qualquer prova poderá ser adiada automaticamente.

E a prova será adiada?

Embora ainda não tenha sido votada na câmara, o presidente do Inep (instituto responsável pela aplicação da prova) já havia admitido a possibilidade de adiar a prova. E o ministro da educação, Abraham Weintraub, que estava contra esse adiamento desde o início dos debates, agora optou por confirmá-lo.

Sendo assim, no dia 20 de maio, o Inep soltou uma nota oficial informando de que, por conta das manifestações do Legislativo e da demanda social, a prova será adiada de 30 a 60 dias, não tendo ainda uma data exata para a aplicação da mesma.

Para definir a data exata da prova, será realizada uma consulta aos candidatos que já estão inscritos para o exame. O ministro da educação se pronunciou pedindo que os mais de 4 milhões de inscritos fossem ouvidos para definir a melhor data para eles.

Essa pesquisa deverá ser feita em junho, pela página do participante no sistema do Inep.

Sobre as inscrições

As provas serão adiadas, contudo, até o momento as inscrições permanecem até a sexta feira, dia 22 de maio, às 23h59. Há uma possibilidade de que as inscrições também sejam prorrogadas, contudo, em relação à isso não há muitos sinais, então, se ainda não fez sua inscrição, é melhor não arriscar.

A inscrição é feita pela página do participante, no próprio site do Inep. Quando entrar na página de inscrição, terá uma assistente virtual que irá guiar no passo-a-passo da inscrição. Você só precisará informar seus dados e pagar a taxa da inscrição, no valor de R$ 85,00.

Esse é um vídeo do próprio Inep, com um tutorial de como a inscrição é feita.

E, no dia da prova, cuidado para não se atrasar, lembre-se da caneta preta, da garrafinha de água e, de preferência, algum lanchinho durante a prova. Boa prova!

ANÚNCIO